.links

.posts recentes

. A grande ilusão

. Os exames e as férias

. A falta de pontualidade

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. (des)informação

. 1º ciclo

. aulas de substituição

. autarquias

. avaliação

. avaliação dos professores

. boatos

. carreira docente

. conselho das escolas

. conselho pedagógico

. dizer bem

. educação para a saúde

. educação sexual

. eduquês

. encarregado de educação

. ensino básico

. ensino secundário

. escola

. escolaridade obrigatória

. exames

. faltas dos professores

. gestão escolar

. horários

. indisciplina

. informática

. josé sócrates

. josé socrates

. manuais escolares

. ministério da educação

. ministra da educação

. política

. políticos

. professores

. programas

. prolongamento do horário

. provas de aferição

. rede escolar

. reuniões intercalares

. sindicatos

. sócrates

. tlebs

. violência nas escolas

. todas as tags

.número de visitas (desde 25/03/06)

Free Website Counter
Free Website Counter
Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2006

A grande ilusão

"Roubei" a Renoir o título do seu grande filme, para abordar um tema que surge sempre em cada final de período.

Neste momento milhares de encarregados de educação estão a receber convocatórias para irem às escolas receber as avaliações dos seus educandos. Infelizmente é apenas isso: receber.

Os que estão iludidos que poderão recolher outro tipo de informação mais pormenorizada desenganem-se. Estão a ser convocados para irem receber um papel.

O período de uma hora marcado para os atender é exactamente para isso que remete.

Há duas hipóteses:

 a) o Director de turma recebe todos em conjunto, dá algumas informações banais, não podendo nem devendo individualizar, e depois entrega o impresso com as classificações.

b) O director de turma recebe individualmente e atribui 2 minutos a cada encarregado de educação, pois uma hora não permite melhor divisão para receber mais de 20 pessoas.

 Se estivermos perante um Director de Turma com vontade de informar realmente, e transformar uma hora de recepção em duas ou três, o que em muitos casos sucede, está-se perante um desrespeito perante muito encarregados de educação, trabalhadores, que passarão imenso tempo esperando que chegue a sua vez.

Estas reuniões de uma hora são na verdade um dos maiores desperdícios de produtividade para o país. Imensos trabalhadores abandonarão os seus postos de trabalho, para, na maior parte dos casos, não ficarem a saber mais, do que saberiam se a comunicação lhes chegasse sob outra forma que não fosse a presencial.

A maior parte destas reuniões não passam de um requintado acto hipócrita em que se finge cumprir a lei: talvez a sua letra mas não o seu espírito.

publicado por Paulo às 16:20
link do post | favorito
|
Domingo, 11 de Junho de 2006

Os exames e as férias

Aproximam-se os exames. Trata-se sempre de uma época de alguma tensão para os estudantes.

Pela primeira vez, este ano, dei-me conta da atitude de alguns estudantes. Não se trata da maioria, mas apesar de tudo, já representam uma parte com algum significado.

Esses estudantes mostram-se indignados com as datas em que ocorre a 2ª fase. Argumentam que já se encontram de férias. Alguns já “abalaram” para outros locais, não estão disponíveis para estudar e muito menos para se deslocarem à sua residência a fim de estarem presentes à data em que se realiza a prova.

Aguardam com ansiedade que alguém lhe veja as classificações da 1ª fase, deixam uma folha de inscrição assinada para o caso de reprovarem e terem que comparecer na 2ª fase, e depois no dia certo, lá farão o sacrifício de aparecerem.

Colocarem a possibilidade de adiarem um dos exames da 1ª para a 2ª fase, no caso em que os exames ocorrem em datas muito próximas, está fora de questão, mesmo que, como acontece no 11º ano, as matérias sujeitas a exame sejam as de dois anos lectivos.

Acontece ainda que alguns desses alunos nem sequer faziam ideia, e alguns ainda não fazem, de quais são as datas dos exames na 2ª fase.

Tudo isto mostra a atitude perante a escola, e os esforço a que ela obriga, por parte dos alunos e das suas famílias. Não culpo só os alunos, alguns deles sem a maturidade suficiente para analisarem a sua atitude, mas culpo os seus Encarregados de Educação. Revelam um total desinteresse pela qualidade do trabalho dos seus educandos. Mais importante que estudar para os exames ou fazer o “sacrifício” de passar o mês de Julho a estudar, torna-se relevante propiciar umas “boas férias”. Para eles os exames já se desenrolam em período de férias. Não conseguem alcançar que as férias começam quando terminam os exames. Isto revela não a falta de responsabilidade desses Encarregados de Educação, mas sim a sua irresponsabilidade, e traduz uma “certa cultura” patente em muitos sectores da nossa sociedade.

 

publicado por Paulo às 11:54
link do post | favorito
|
Quinta-feira, 30 de Março de 2006

A falta de pontualidade

Todos os dias, depois das oito e trinta, cumpro um dos meus deveres de encarregado de educação entregando uma criança no infantário.

No mesmo edifício funciona o 1º ciclo do ensino básico, que inicia as suas aulas às oito horas.

Quotidianamente observo alunos a chegarem com mais de meia hora de atraso à escola, saindo dos automóveis dos seus pais e encaminhando-se muito calmamente para as salas. Muitos deles são repetentes nessas situações.

É lamentável a atitude destes encarregados de educação ao incutirem estes comportamentos nos seus filhos. Entre muitos aspectos negativos que poderiam ser enunciados, apenas quero referir dois: revelam um total desrespeito pela Escola e incentivam a desresponsabilização, mostrando que as regras não são para cumprir, e que não existem consequências quando não são cumpridas. De nada vale a escola tentar educar, quando o exemplo de deseducação vem dos próprios encarregados de educação.

Não sei o que a Escola pode fazer nestas situações, mas provavelmente nada, a não ser “implorar” repetidas vezes aos encarregados de educação que façam chegar os seus filhos a horas à escola.

publicado por Paulo às 21:57
link do post | favorito
|

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30