.links

.posts recentes

. A derrota

. Março de 2007. Lembram-se...

. O Estado a que chegámos

. O próximo passo

. Não será um caso de imped...

. O futuro está aí.

. Será que já batemos no fu...

. Uma acção de formação

. Três notas soltas

. Terminar a tarefa

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. (des)informação

. 1º ciclo

. aulas de substituição

. autarquias

. avaliação

. avaliação dos professores

. boatos

. carreira docente

. conselho das escolas

. conselho pedagógico

. dizer bem

. educação para a saúde

. educação sexual

. eduquês

. encarregado de educação

. ensino básico

. ensino secundário

. escola

. escolaridade obrigatória

. exames

. faltas dos professores

. gestão escolar

. horários

. indisciplina

. informática

. josé sócrates

. josé socrates

. manuais escolares

. ministério da educação

. ministra da educação

. política

. políticos

. professores

. programas

. prolongamento do horário

. provas de aferição

. rede escolar

. reuniões intercalares

. sindicatos

. sócrates

. tlebs

. violência nas escolas

. todas as tags

.número de visitas (desde 25/03/06)

Free Website Counter
Free Website Counter
Quinta-feira, 1 de Novembro de 2007

A entrevista ministra da educação

Estive a ver a entrevista que a senhora Ministra da Educação deu ao canal 1 da RTP.

Sobre o estatuto do aluno apenas sei “por ouvir dizer”,  pelo que prefiro não me pronunciar. Houve, no entanto, uma abordagem feita pela senhora ministra que achei curiosa.

Afirmou que era preciso desconectar a avaliação do comportamento. Não se deve elevar uma classificação de um aluno por ele se portar bem nas aulas, nem baixá-la por ele se portar mal. O comportamento deverá ser tratado num outro nível. Segundo as palavras que proferiu, se um aluno sabe, passa, se não sabe, não passa.

Não sei se a senhora Ministra da Educação já leu os critérios de avaliação aprovados nas escolas portuguesas, nas turmas do ensino básico em geral, e em turmas de currículos alternativos e nos designados PIEF mais particularmente,   mas também no ensino secundário.  Saber ou não saber está longe de ser condicionante na progressão dos alunos, e se fosse, a senhora ministra não conseguiria agitar a bandeira da descida dos números do abandono escolar.

publicado por Paulo às 22:04
link do post | favorito
|
2 comentários:
De maria a 2 de Novembro de 2007 às 12:11
na minha escola, o comportamento e as atitudes são ponderados na avaliação, mas, a menos que haja uma estratégia desenvolvida na aquisição desses valores, não são 'contabilizados'; nós não podemos avaliar o que não ensinámos de modo estruturado
De maria a 2 de Novembro de 2007 às 12:18
na minha escola, o comportamento e as atitudes são ponderados na avaliação, mas, a menos que haja uma estratégia desenvolvida na aquisição desses valores, não são 'contabilizados'; nós não podemos avaliar o que não ensinámos de modo estruturado

Comentar post

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30