.links

.posts recentes

. A derrota

. Março de 2007. Lembram-se...

. O Estado a que chegámos

. O próximo passo

. Não será um caso de imped...

. O futuro está aí.

. Será que já batemos no fu...

. Uma acção de formação

. Três notas soltas

. Terminar a tarefa

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. (des)informação

. 1º ciclo

. aulas de substituição

. autarquias

. avaliação

. avaliação dos professores

. boatos

. carreira docente

. conselho das escolas

. conselho pedagógico

. dizer bem

. educação para a saúde

. educação sexual

. eduquês

. encarregado de educação

. ensino básico

. ensino secundário

. escola

. escolaridade obrigatória

. exames

. faltas dos professores

. gestão escolar

. horários

. indisciplina

. informática

. josé sócrates

. josé socrates

. manuais escolares

. ministério da educação

. ministra da educação

. política

. políticos

. professores

. programas

. prolongamento do horário

. provas de aferição

. rede escolar

. reuniões intercalares

. sindicatos

. sócrates

. tlebs

. violência nas escolas

. todas as tags

.número de visitas (desde 25/03/06)

Free Website Counter
Free Website Counter
Quarta-feira, 19 de Abril de 2006

Manuais escolares (II)

Nesta polémica que surgiu acerca dos manuais escolares, não consigo entender a grande resistência que as editoras estão a fazer, “tomando as dores” dos professores, que até ao momento ainda não me apercebi  que tivessem reclamado profundamente da nova legislação.

Não conheço ainda a versão final da lei, mas não subscrevo de forma alguma as críticas dos editores, assim como também não me identifico com as palavras que ouvi ao Secretário de Estado, referindo que a partir deste momento os professores escolherão os manuais com autonomia e responsabilidade. Nunca me senti pressionado por nenhuma editora para escolher manuais e sempre assumi as boas e más escolhas que efectuei. Nesse aspecto não consigo ver que a nova lei produza qualquer alteração.

Quanto aos editores tanta reclamação só poderá advir de alguma diminuição dos lucros. Não vejo mais nenhuma razão.

publicado por Paulo às 22:57
link do post | favorito
|

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30