.links

.posts recentes

. A derrota

. Março de 2007. Lembram-se...

. O Estado a que chegámos

. O próximo passo

. Não será um caso de imped...

. O futuro está aí.

. Será que já batemos no fu...

. Uma acção de formação

. Três notas soltas

. Terminar a tarefa

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. (des)informação

. 1º ciclo

. aulas de substituição

. autarquias

. avaliação

. avaliação dos professores

. boatos

. carreira docente

. conselho das escolas

. conselho pedagógico

. dizer bem

. educação para a saúde

. educação sexual

. eduquês

. encarregado de educação

. ensino básico

. ensino secundário

. escola

. escolaridade obrigatória

. exames

. faltas dos professores

. gestão escolar

. horários

. indisciplina

. informática

. josé sócrates

. josé socrates

. manuais escolares

. ministério da educação

. ministra da educação

. política

. políticos

. professores

. programas

. prolongamento do horário

. provas de aferição

. rede escolar

. reuniões intercalares

. sindicatos

. sócrates

. tlebs

. violência nas escolas

. todas as tags

.número de visitas (desde 25/03/06)

Free Website Counter
Free Website Counter
Sexta-feira, 31 de Março de 2006

Será que é verdade?

Mas será que é verdade o que se vai sabendo das reuniões para definição da rede escolar para o próximo ano lectivo?

Será que os senhores que exercem os cargos de decisão estão no seu perfeito juízo, se o que consta é verdade?

Quando será que esses senhores, cujos filhos nunca sofrem com as decisões que tomam, deixam de querer ser os donos de todos?

É muito fácil decidir sobre assuntos que não nos afectam.

Será que é verdade que se vão ser colocadas turmas do 1º ciclo em escolas EB 2/3?

Será que também pensam duplicar, pelo menos, o número de auxiliares de acção educativa para assim se poder garantir a segurança dos mais novos?

Obviamente que caso esta situação, de colocar crianças de 6 e 7 anos no mesmo local de jovens com 14,15 e 16 anos, se concretize, quem tiver possibilidades económicas, irá imediatamente colocar os seus filhos nos mesmos colégios privados que já são frequentados pelos filhos dos decisores.

Qualquer encarregado de educação sabe que esta mistura será péssima para os seus filhos. Uns terão dinheiro para os proteger, outros não.

Continua a matar-se a escola pública.

Este será um grande passo para continuar a criar escolas privadas para elites económicas e sociais, e escolas públicas para os “outros”.

sinto-me:
publicado por Paulo às 19:20
link do post | favorito
|

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30