.links

.posts recentes

. A derrota

. Março de 2007. Lembram-se...

. O Estado a que chegámos

. O próximo passo

. Não será um caso de imped...

. O futuro está aí.

. Será que já batemos no fu...

. Uma acção de formação

. Três notas soltas

. Terminar a tarefa

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. (des)informação

. 1º ciclo

. aulas de substituição

. autarquias

. avaliação

. avaliação dos professores

. boatos

. carreira docente

. conselho das escolas

. conselho pedagógico

. dizer bem

. educação para a saúde

. educação sexual

. eduquês

. encarregado de educação

. ensino básico

. ensino secundário

. escola

. escolaridade obrigatória

. exames

. faltas dos professores

. gestão escolar

. horários

. indisciplina

. informática

. josé sócrates

. josé socrates

. manuais escolares

. ministério da educação

. ministra da educação

. política

. políticos

. professores

. programas

. prolongamento do horário

. provas de aferição

. rede escolar

. reuniões intercalares

. sindicatos

. sócrates

. tlebs

. violência nas escolas

. todas as tags

.número de visitas (desde 25/03/06)

Free Website Counter
Free Website Counter
Sábado, 27 de Janeiro de 2007

Suspensão da TLEBS

A decisão do Ministério da Educação, noticiada hoje no Público após as “trapalhadas informativas” dos últimos dias, de suspender as TLEBS no final do ano lectivo é lamentável. Não sei com que critérios se tomam estas decisões. Gostava  de saber se entre as pessoas que decidiram existe alguma com filhos a servirem de cobaias a estes ensaios. Não acredito.

 Estes alunos vão ser massacrados este ano com uma terminologia que irão ter que esquecer a partir de Junho.

Imagine-se um médico que receita uma caixa de 100 comprimidos. Após o doente tomar 10 ou 12, verifica que o medicamento está a prejudicar o doente e não o está a curar, mas decide, mesmo sabendo que a situação se agravará em consequência do seu erro, manter a tomada dos comprimidos até ao centésimo.

Um médico destes teria grandes possibilidades de ser expulso da ordem respectiva e de sofrer uma condenação em tribunal.

O Ministério da Educação decidiu fazer exactamente como este médico.

A quem tomou a decisão nada acontecerá.

publicado por Paulo às 16:00
link do post | favorito
|
1 comentário:
De maria jose lima a 16 de Maio de 2007 às 09:33
sempre acertiva, perspicaz e de escrita fluente! NA "MOUCHE"

Comentar post

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30