.links

.posts recentes

. A derrota

. Março de 2007. Lembram-se...

. O Estado a que chegámos

. O próximo passo

. Não será um caso de imped...

. O futuro está aí.

. Será que já batemos no fu...

. Uma acção de formação

. Três notas soltas

. Terminar a tarefa

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. (des)informação

. 1º ciclo

. aulas de substituição

. autarquias

. avaliação

. avaliação dos professores

. boatos

. carreira docente

. conselho das escolas

. conselho pedagógico

. dizer bem

. educação para a saúde

. educação sexual

. eduquês

. encarregado de educação

. ensino básico

. ensino secundário

. escola

. escolaridade obrigatória

. exames

. faltas dos professores

. gestão escolar

. horários

. indisciplina

. informática

. josé sócrates

. josé socrates

. manuais escolares

. ministério da educação

. ministra da educação

. política

. políticos

. professores

. programas

. prolongamento do horário

. provas de aferição

. rede escolar

. reuniões intercalares

. sindicatos

. sócrates

. tlebs

. violência nas escolas

. todas as tags

.número de visitas (desde 25/03/06)

Free Website Counter
Free Website Counter
Sexta-feira, 29 de Dezembro de 2006

Polivalência

Foi aprovado em Conselho de Ministros o novo regime jurídico da habilitação profissional para a docência.

Trata-se de uma enorme machadada na qualidade do ensino. Não é possível a alguém ter capacidade de dominar os conteúdos científicos de todas as áreas do 2º ciclo e ainda poder ser professor do 1º ciclo.

Se neste momento já eram visíveis as dificuldades de alguns docentes no 1º ciclo, em abordarem de forma segura os vários conteúdos, sendo mais notável o que se passa com o ensino da matemática e das ciências, a aplicação deste novo diploma vai ser a generalização da ignorância

Quando se lê no comunicado oficial do Conselho de Ministros que,

“esta mudança demonstra o esforço de elevação do nível de qualificação do corpo docente, com vista a contribuir para a qualidade da sua preparação e para a valorização do seu estatuto socioprofissional"

fica-se perplexo.

Ou pensam que somos parvos, ou querem fazer de nós parvos, ou os parvos são outros, embora não tenham consciência disso.

Só quem olha “de cima”, quem não frequenta o dia a dia das escolas, quem não vê o que os filhos vivem nas salas de aula, pode achar que se vai melhorar a qualidade do ensino com esta polivalência.

Esta legislação é o resultado da conjuntura económica. Se um professor puder deslocar-se nos diferentes níveis, permitindo a sua deslocação para o nível e área disciplinar para onde existir falta de docentes, poupa-se dinheiro.

Não existe, como é óbvio, qualquer preocupação com a qualidade do ensino que irá degradar-se. Apenas se arranjou um meio de diminuir os custos. As consequências não interessam

Se a crise económica se mantiver não tenho dúvidas que esta situação irá ser alargada, com as devidas adaptações, aos outros níveis de ensino e não tardará muito a ver-se um professor capaz de leccionar em simultâneo inglês, história, matemática e programação de computadores.

tags:
publicado por Paulo às 12:21
link do post | favorito
|

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30