.links

.posts recentes

. A derrota

. Março de 2007. Lembram-se...

. O Estado a que chegámos

. O próximo passo

. Não será um caso de imped...

. O futuro está aí.

. Será que já batemos no fu...

. Uma acção de formação

. Três notas soltas

. Terminar a tarefa

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. (des)informação

. 1º ciclo

. aulas de substituição

. autarquias

. avaliação

. avaliação dos professores

. boatos

. carreira docente

. conselho das escolas

. conselho pedagógico

. dizer bem

. educação para a saúde

. educação sexual

. eduquês

. encarregado de educação

. ensino básico

. ensino secundário

. escola

. escolaridade obrigatória

. exames

. faltas dos professores

. gestão escolar

. horários

. indisciplina

. informática

. josé sócrates

. josé socrates

. manuais escolares

. ministério da educação

. ministra da educação

. política

. políticos

. professores

. programas

. prolongamento do horário

. provas de aferição

. rede escolar

. reuniões intercalares

. sindicatos

. sócrates

. tlebs

. violência nas escolas

. todas as tags

.número de visitas (desde 25/03/06)

Free Website Counter
Free Website Counter
Segunda-feira, 10 de Julho de 2006

Horários

Do gabinete do Secretário de Estado da Educação, com data de 29 de Junho, saiu um documento a que foi dado o título:

Organização do ano lectivo 2006/2007

Algumas notas

Este documento pretende estabelecer algumas regras, que desde o desaparecimento de um documento que se chamava LAL, (Lançamento do Ano Lectivo), não se sabia se deveriam ser aplicadas ou desprezadas na elaboração dos horários.

A intenção era boa, mas o resultado parece-me fraco. Quem fez o documento mostra desconhecer a realidade das escolas e o conjunto das disciplinas dos diversos cursos do secundário.

As indicações para a organização dos horários foram repescadas do antigo LAL sem cuidar da sua adaptação à realidade actual.

1 – Qual a razão que leva a distinguir a língua estrangeira  e a Educação Física das outras disciplinas? Perante um tão grande conjunto de disciplinas que têm dois tempos lectivos, (refiro-me a blocos de 90 minutos), por que razão apenas estas não podem ser leccionadas em dias seguidos? Por que é que a Matemática B, a Física e Química B, o Português, a Filosofia, etc,  estão isentos desta regra que qualquer equipa de horários sabe que deverá seguir?

Gostaria muito de ser esclarecido, embora me pareça óbvio que quem escreveu tal regra não faz a mínima ideia da justificação que pode dar.

2 – Ao limitar o número de aulas a 8 tempos semanais, obriga a que as turmas dos cursos Científico-Humanísticos do 10º ano, que têm 40 tempos semanais, tenham aulas todos os dias de manhã e de tarde, nunca saindo antes das cinco horas, se iniciarem logo ao primeiro tempo da manhã.

Onde fica o tempo para estudar?

Será que no Ministério da Educação conhecem a carga horária dos alunos?

Parece-me que não. Não é bom para os alunos terem dez tempos diários, mas entre terem pelo menos um dia com dez tempos, onde se poderiam colocar algumas disciplinas mais “leves”, e não terem tempo para estudar, com aulas todos os dias de manhã e de tarde, eu prefiro a primeira hipótese.

3 – Será que o senhor Secretário de Estado da Educação sabe que os cursos tec nológicos têm 42 tempos lectivos.

Como se faz? Eliminam-se 2 tempos ou não se cumprem as indicações?

4- O que entende o senhor Secretário de Estado da Educação por aulas isoladas? Será apenas um bloco (90 minutos) num turno? Quer obrigar a 2 tempos de manhã e dois à tarde? Saiba o senhor Secretário de Estado da Educação que em escolas sobrelotadas esse objectivo é impossível de cumprir.

Há ainda uma outra situação. Não será justo que uma disciplina que é de opção fique isolada no turno? Por que terão os alunos do ensino secundário, que não têm essa disciplina, de ser obrigados a passar mais um turno na escola? Refiro-me à disciplina de Educação Moral e Religiosa.

5 – Só mais uma nota para a indicação de que não devem existir dias muito sobrecarregados.

Com 40 e 42 tempos como é possível evitar dias muito sobrecarregados?

Gostaria de ver o senhor Secretário de Estado da Educação a fazer esses horários. Os alunos agradeceriam, pois é algo que as equipas de horários terão muita dificuldade, mesmo impossibilidade, em fazer.

Para a próxima vez que pretenda produzir indicações sobre os horários, a equipa do senhor Secretário de Estado da Educação deve informar-se de quais os reais problemas que surgem na elaboração dos mesmos, e não apenas produzir documentos com base em textos pretéritos, que depois não podem ser aplicados ou criam situações absurdas. 

publicado por Paulo às 15:43
link do post | favorito
|

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30