.links

.posts recentes

. A derrota

. Março de 2007. Lembram-se...

. O Estado a que chegámos

. O próximo passo

. Não será um caso de imped...

. O futuro está aí.

. Será que já batemos no fu...

. Uma acção de formação

. Três notas soltas

. Terminar a tarefa

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

.tags

. (des)informação

. 1º ciclo

. aulas de substituição

. autarquias

. avaliação

. avaliação dos professores

. boatos

. carreira docente

. conselho das escolas

. conselho pedagógico

. dizer bem

. educação para a saúde

. educação sexual

. eduquês

. encarregado de educação

. ensino básico

. ensino secundário

. escola

. escolaridade obrigatória

. exames

. faltas dos professores

. gestão escolar

. horários

. indisciplina

. informática

. josé sócrates

. josé socrates

. manuais escolares

. ministério da educação

. ministra da educação

. política

. políticos

. professores

. programas

. prolongamento do horário

. provas de aferição

. rede escolar

. reuniões intercalares

. sindicatos

. sócrates

. tlebs

. violência nas escolas

. todas as tags

.número de visitas (desde 25/03/06)

Free Website Counter
Free Website Counter
Sábado, 3 de Junho de 2006

A "cultura" e a escola

Numa entrevista no jornal “Expresso”, a propósito da avaliação dos professores, Maria Filomena Mónica refere haver licenciados sem qualquer conhecimento de cultura clássica, facto que ela reputa de grave.

Este pensamento traduz uma forma de “cultura” banalizada entre nós. Cultura são as Humanidades, as letras, etc.

Ninguém pensa na tabuada do 7 ou no algoritmo da divisão quando fala em cultura.

Considera-se chocante que um licenciado não saiba quem foi o 1º rei da 4ª dinastia, que não saiba entre quem foi a batalha de S. Mamede, que não saiba quem foi Dante, Vergílio, etc.

Raramente alguém pergunta a um licenciado se sabe explicar porque é que um pára-quedista cai com velocidade constante, quanto são 8 vezes 7, se sabe dividir 345386 por 63,6 ou se sabe calcular a média do seu curso. Normalmente isso não é considerado cultura, ciência não é cultura.

Infelizmente há licenciados que conhecem muito de cultura clássica mas não souberam sequer calcular a sua média final de curso.

Essa iliteracia científica é, no mínimo, tão grave como a falta de cultura clássica.

Talvez uma mudança na edução precise de mudar o conceito de “cultura”, valorizando dessa forma as disciplinas que no sistema educativo piores resultados apresentam. Mas como não são “culturais”….

tags:
publicado por Paulo às 15:58
link do post | favorito
|

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30